9 de novembro de 2012

Análise ao Kobo Glo - Parte I



Esta análise divide-se em três partes:
I – Hardware

Introdução

A Kobo expandiu recentemente a sua parceria com o grupo Fnac, antes limitada às lojas francesas, passando a comercializar o Kobo Touch e respectivos acessórios em Portugal. Esta análise centra-se, no entanto, no novo Kobo Glo, lançado poucos dias após o anúncio da parceria com a Fnac Portugal. Não existem quaisquer dados oficiais no que diz respeito à disponibilização deste modelo no nosso país, mas tanto a embalagem como a documentação do leitor vêm traduzidas para Português, e existe já um manual do utilizador online. Recentes promoções da Fnac indicam também uma tentativa de escoar o stock do Kobo Touch, pelo que o Glo deverá chegar às lojas portuguesas até ao final deste ano, muito provavelmente antes do Natal. Os mais impacientes podem encomendá-lo através da Fnac.com, por 129,90€ mais portes (DHL).
Esta primeira parte da análise foca os aspectos técnicos assim como as diferentes formas para adquirir eBooks para o Glo. A segunda parte será mais extensa, e irá tratar em detalhe as funcionalidades do leitor. Caso queiram colocar qualquer questão específica podem fazê-lo através dos comentários.


Design/Hardware

O Kobo vem acompanhado apenas por um cabo microUSB-USB e um pequeno guia rápido, o suficiente para nos orientar durante a primeira utilização (que pode ser efectuada de imediato já que o aparelho traz a bateria parcialmente carregada). Para explorar todas as funcionalidades, apesar de a maioria dos menus serem bastante intuitivos, é recomendável a leitura do manual referido acima. 


No que diz respeito à qualidade dos materiais, o Kobo Glo é bastante robusto e agradável ao tacto, apresentando um padrão em diamante na parte de trás tal como acontece com o Kobo Touch. O acabamento é suave mas bastante susceptível a dedadas. 


Na parte superior podemos encontrar dois botões, um para activar a luz e outro para ligar/desligar o aparelho ou colocá-lo em standby. Tratam-se dos únicos botões físicos do Kobo, pelo que quaisquer outras funcionalidades são efectuadas através do ecrã táctil. Na parte inferior temos a entrada micro USB e no lado esquerdo uma slot micro SD que permite expandir a capacidade de memória do ereader até 32 GB. Dos 2 GB de memória interna, cerca de 1,36 GB estão disponíveis para armazenar eBooks, estando o resto reservado ao software. De notar que as entradas não têm qualquer protecção, sendo é aconselhável a utilização de uma capa.


Quanto ao ecrã o Glo não desaponta. Com uma resolução de 1024 x 758 é possível visualizar mesmo as imagens mais complexas sem grandes problemas, aspecto de especial importância na leitura de PDF's ou de banda-desenhada. Os pequenos LED's situados na parte inferior do ecrã permitem ultrapassar uma das principais desvantagens dos ecrãs e-ink, dado que proporcionam uma iluminação uniforme, cuja intensidade pode ser ajustada de acordo com a preferência do utilizador. A única desvantagem associada a esta tecnologia que pude identificar foi uma perda de contraste para os níveis de maior intensidade de iluminação.


A navegação nos menus, assim como a mudança de páginas são bastante rápidas graças ao processador de 1 GHZ. Quanto ao acesso à internet, ao contrário do que acontece com alguns modelos Kindle, que permitem acesso 3G, o Glo está limitado a WIFI. Não existe também qualquer suporte para audiobooks (tendência que se tem vindo a verificar nos eReaders mais recentes), como seria de prever pela ausência de altifalantes e de entrada para headphones.

eBooks


Independentemente das especificações e das funcionalidades de um eReader, o acesso a diferentes lojas e a facilidade de transferência de eBooks são aspectos determinantes. Neste campo o Kobo é bastante versátil dado que não restringe o utilizador a uma plataforma tal como acontece com os produtos da Amazon e da Apple. Assim, adquirir eBooks para o Glo pode ser efectuado das seguintes formas:
  • Directamente na Kobo Books, através de ligação WIFI ou recorrendo ao software da Kobo para PC, transferindo-os posteriormente para o eReader.
  • Em qualquer loja online que venda eBooks protegidos pelo DRM da Adobe, de que a Mediabooks da Leya é exemplo. Neste caso será necessário efectuar o download do Adobe Digital Editions e registar o Kobo Glo nesse programa.
  • Através das dezenas de websites que disponibilizam eBooks desprotegidos como o Project Gutenberg (podem encontrar uma extensa lista destes websites aqui no blog).

Em suma, é possível carregar livros de praticamente qualquer loja com excepção da Amazon, liberdade que destaca o Glo do principal concorrente: o Kindle Paperwhite.
A transferência de conteúdo para o Glo pode ser feita com um simples drag-and-drop, exceptuando os eBooks protegidos pelo já referido Adobe DRM. Apesar disso, a melhor forma para organizar os livros e transferi-los para o dispositivo é através do programa Calibre, ferramenta essencial para quem lê regularmente livros em formato digital.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...